02/12/2016

Discentes de Ciências Atmosféricas participam do II Salão de Orientação Profissional da UFOPA

Escrito por: Ciências Atmosféricas UFOPA | Horário: 20:34 | Arquivo:
       
       
       Segundo a coordenação, cerca de 1.500 visitantes circularam no auditório no Campus Amazônia no no dia 23 de novembro, onde onde tiveram oportunidade de observar estandes contendo informações de vários cursos que a instituição disponibiliza no processo seletivo anual.

       A UFOPA oferece 33 cursos de graduação e em sua maioria estavam sendo representados por Discentes e Docentes de cada Instituto. Os alunos visitantes e concluintes do Ensinó Médio de Santarém-PA, puderam sanar dúvidas sobre as mais variadas áreas do conhecimento, vendo na prática, as possibilidades ou as áreas de estudo que cada curso segue.

       Em Particular, o curso de Ciências Atmosféricas da UFOPA estava apresentando as mais diversas áreas em que o Meteorologista pode atuar no Mercado de Trabalho.

O CURSO
       As disciplinas específicas incluem meteorologia física, climatologia, micrometeorologia, agrometeorologia e sensoriamento remoto. Há atividades em laboratório, nos quais o discente desenvolve um intenso treinamento empregando técnicas de previsão do tempo e se familiarizando com o uso de softwares e sensores meteorológicos. A realização de estágio e a apresentação de um trabalho de conclusão de curso são obrigatórias.
Duração média: 4 anos.

Agrometeorologia
       Elaborar boletins do tempo para empresas e produtores rurais, definindo a época mais adequada para o plantio e a colheita de safras agrícolas.
Área operacional
       Estudar as condições climáticas para orientar o tráfego aéreo e marítimo.
Biometeorologia
       Pesquisar a relação entre a vida animal e vegetal e a atmosfera, para prevenir e reduzir alterações climáticas.
Climatologia
       Analisar imagens de satélites e construir modelos numéricos em computadores para determinar as condições de tempo e prever o clima.
áticas, como o efeito estufa e o aquecimento global. Estudar as relações entre doenças e o clima.
Hidrometeorologia
       Estudar o regime das águas das chuvas e dos rios para prevenir enchentes. Assessorar construtoras e órgãos públicos.
Instrumentação meteorológica e ambiental
       Projetar, construir e operar equipamentos empregados na meteorologia.
Meteorologia ambiental
       Estudar a poluição atmosférica e as condições climáticas em que os poluentes se concentram e se dispersam e o conforto ambiental em áreas públicas.
Previsão do tempo
       Fazer a previsão do tempo para jornais, programas de rádio e de TV, websites ou prestar assessoria a agências e empresas do setor da construção civil e do turismo.
Radiometeorologia
       Estudar as influências meteorológicas na área de telecomunicações para evitar interferências na transmissão e na captação de ondas.

Mercado de Trabalho
       A atuação do profissional, ainda carente no país, vai muito além da previsão do tempo. Órgãos como os ministérios da Marinha e da Aeronáutica, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) e o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) são tradicionais empregadores. Companhias de saneamento ambiental e empresas de geração e transmissão de energia elétrica, como a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig), a usina hidrelétrica de Itaipu e a Companhia Paranaense de Energia (Copel), também costumam contratar meteorologistas. Quem se dedica à meteorologia ambiental encontra perspectivas animadoras ainda em secretarias estaduais e municipais de Meio Ambiente. O Sudeste é o grande empregador, mas há vagas em todo o país.

FOTOS:
Discentes Tiago e Cleber falando sobre o curso de Ciências Atmosféricas.

Da esquerda para direita: Herculano, Tiago, Aline, Gabriel, Cleber e Prof. Wilderclay.



Fonte: UFOPA COMUNICA e Guia Do Estudante.

google+

linkedin